Nos dias de hoje muitas cirurgias são realizadas para pessoas que sofrem de dor. Mas será que elas são mesmo necessárias?

Pensando principalmente em pessoas com doenças e lesões ortopédicas, o médico ortopedista e pesquisador Dr. Otávio Melo utiliza métodos de tratamento conservadores, focados em estimular a capacidade natural de regeneração dos tecidos.

Atendendo atualmente nas cidades de São Paulo e Belo Horizonte – com passagem pelo Canadá, Estados Unidos e França durante sua formação – o especialista nos conta o que o motivou a direcionar seus estudos para essa área. “Percebi que muitos pacientes eram submetidos a cirurgias, mas continuavam com as mesmas queixas após o procedimento”. Tal observação o estimulou a aprofundar os estudos em técnicas menos agressivas de tratamento, com preservação dos tecidos.

“Quando voltei da França, todos os ortopedistas no Brasil ainda faziam a retirada dos meniscos lesados no joelho, enquanto os franceses faziam a reconstrução. Preferi seguir a escola francesa, mesmo que isso gerasse críticas dos meus colegas brasileiros”. Conta Dr. Otávio.

Seguindo essa linha de pensamento ele começou a fazer tratamentos cada vez menos invasivos, entre os quais se destacam as primeiras substituição de cartilagem por membrana de colágeno e subcondroplastia do estado de Minas Gerais. Os resultados foram cada vez melhores com essas técnicas até que, em um congresso teve contato com pesquisadores da área de regeneração de tecidos; e esse foi o tema que o motivou para o título da dissertação de mestrado. Desde então, desenvolveu técnicas com agulhas guiadas por ultrassom, sem cortes, sem internações e principalmente, sem necessidade de afastamento do paciente de seu trabalho ou uso de muletas ou cadeiras de rodas para recuperação.

“Com o envelhecimento da população, tem ocorrido um aumento progressivo de pessoas com doenças degenerativas, ou seja, doenças que não possuem cura definitiva, e que não regridem com o passar dos anos. Se não podemos curá-las, temos a obrigação de aliviar o sofrimento que elas causam”, diz o médico.

O Dr. Otávio Melo é pesquisador; médico ortopedista, especialista em joelho e dor; mestre em medicina e doutorando em saúde baseada em evidências.


Fonte: Veja