Médico e corredora garantem que sim. Saiba mais sobre as diferentes formas e como vivem os adeptos do veganismo.

É possível ser atleta e vegano ao mesmo tempo? É possível ser atleta e vegano ao mesmo tempo?

Por ideologia, saúde, estilo de vida ou gosto alimentar, é cada vez mais comum encontrar adeptos do veganismo. Mas será que dá para ser vegano e atleta ao mesmo tempo? Será que pessoas que seguem uma alimentação tão restrita conseguem render bem nos seus esportes? O nutrólogo Bruno Menezes e a corredora de montanha Elisa Lamego garantem que sim. Mas o que é ser vegano? Veganos são aqueles que adotam o vegetarianismo estrito no âmbito da alimentação, ou seja, não consome nenhum alimento de origem animal (carnes, ovos, latícinios, etc.).

E dentro do veganismo ainda existem outras subdivisões, como os crudívoros e frugívoros. Elisa Lamego é frugívora, ou seja, só se alimenta de frutas, folhas e vegetais em seu estado natural, ou seja, sem nenhum aquecimento ou processo de fritura, forno ou fogão. Aos 28 anos, ela segue esse estilo de vida radical há dois, mas é vegana desde 2012. A escolha foi por questões de saúde.

Minha mãe faleceu de câncer, e eu pensei: “Não quero que isso aconteça comigo” – disse ela.

Elisa virou frugívora há dois anos

Elisa sequer tem fogão em casa, e em sua cozinha há frutas por todos os lados. Ela mora com outras quatro pessoas que também são frugívoras. Juntos, consomem cerca de 90kg de bananas por semana.

Banana é uma refeição crucial para os frugívoros. Mas buscamos sempre dar prioridade para a fruta da época. Para mim basicamente é descascar e comer. É fácil e prático – contou Elisa, que não faz suplementação e diz que come bastante.

Atleta de corrida desde 2014 e hoje parte da seleção brasileira de skyrunning, ela garante que não se sente fraca ou tem perda de desempenho por se alimentar apenas de frutas, folhas e vegetais. Pelo contrário.

Vi uma melhora na minha performance, em termos de energia e saúde. Pratico jejum intermitente, e mesmo assim eu sinto que tenho muita força – afirmou.

O médico Bruno Menezes, vegetariano estrito há três anos, diz que é possível encontrar todos os nutrientes de que o corpo precisa, incluindo proteínas, nos vegetais. Ele lembrou que hoje em dia há atletas veganos em todos os esportes, inclusive no MMA.

– Existem três macronutrientes principais: gordura, proteína e carboidrato. É preciso um equilíbrio. Para construir músculo, você precisa mais de carboidrato do que de proteína. As proteínas são formadas por conjuntos de aminoácidos. Existem diversos tipos de aminoácidos, eles podem ser classificados como não essenciais, que são fabricados pelo nosso próprio corpo, e essenciais, aqueles que o corpo não fabrica, logo devendo ser ingeridos na alimentação. Todos os aminoácidos essenciais podem ser encontrados no reino vegetal através de uma alimentação saudável e equilibrada. Se você segue ou deseja seguir essa alimentação, recomendo que procure um profissional capacitado.

Bruno Menezes ressaltou ainda que a carne vermelha aumenta os riscos de doenças crônicas e degenerativas, como diabetes, obesidade, hipertensão e alguns tipos de câncer. Então, deixar de ingerir este alimento e o substituir por outras fontes de proteína, pode ser uma difícil, porém interessante decisão.

Comer carne aumenta os riscos. Existem estudos que afirmam que comer carne processada é tão nocivo ou mais do que fumar cigarro. Não é que a pessoa vá ter câncer, mas o risco aumenta. Se você pensa em reduzir o consumo de carne, vá aos poucos, entenda suas motivações – orientou.

Alimentação de Elisa é composta basicamente de frutas, especialmente banana e melancia

E a questão social? Não dá para negar que o hábito de se reunir à mesa é uma das principais formas de socialização entre as pessoas. Para Elisa, isso não é um problema. Sempre munida de uma sacola enorme, ela vai para qualquer lugar que for chamada.

Para mim é comum ir para casa de um amigo, uma festa carregando minhas frutas em uma sacola. Não tem problema nenhum.

Para entender melhor como funciona cada forma de vegetarianismo, que é a alimentação que exclui todos os tipos de proteínas de origem animal, pedimos ao nutrólogo Bruno Menezes para explicar as diferenças. Confira:

  • Ovolactovegetarianismo: utiliza ovos, leite e derivados na sua alimentação.
  • Lactovegetarianismo: utiliza leite e derivados na sua alimentação.
  • Ovovegetarianismo: utiliza ovos na sua alimentação.
  • Vegetarianismo estrito: não utiliza nenhum produto de origem animal na sua alimentação.

Então, se tem gente que consegue se alimentar somente de frutas e folhas, ficar ao menos um dia sem comer carne não deve ser tão difícil, não é? Que tal experimentar? Desafio lançado.


Fonte: Globo Esporte