Uma nova modalidade tem auxiliado no alívio de dores nas articulações, membros e coluna de pessoas que sofrem com essas queixas: são as ondas de choque. Não, não se trata de nenhuma corrente elétrica sendo aplicada sobre o local, mas de ondas mecânicas como micro-impactos em volta da região afetada.

Útil nas dores crônicas, como as causadas por tendinites que não melhoram com os tratamentos habituais, dores musculares crônicas ou até mesmo falhas na consolidação de fraturas também estão entre as indicações possíveis, como explica o pesquisador e médico ortopedista, diretor de divulgação da Sociedade Médica Brasileira de Tratamento por Ondas de Choque (SMBTOC), Dr. Otávio de Melo.

O tratamento por ondas de choque já é usado desde a década de 90 em países da Europa como a Alemanha e Áustria, onde estudos científicos, verificaram que este método é eficaz em doenças ortopédicas. As ondas de choque são um tipo de energia mecânica que penetra no tecido e provoca um fenômeno de regeneração do tecido inflamado, determinando a liberação de substâncias anti-inflamatórias locais e também estimulando um aumento na microcirculação local. Devido a esse mecanismo, a cada dia surgem novas indicações na literatura médica como por exemplo em dores causadas por compressões de nervos, lesões de pele, problemas circulatórios e até mesmo disfunção erétil.

Devido aos bons resultados alcançados, com taxas de sucesso próximas de 90% para a maioria dos problemas tratados, o método tem se tornado cada vez mais popular entre pessoas que sentem dores crônicas e que necessitam estimular a regeneração dos tecidos.

A técnica é realizada por médicos habilitados em um curso ministrado oficialmente pela Sociedade, através de equipamentos importados. As principais indicações abrangem patologias de caráter crônico como esporão de calcâneo, tendinites como as de ombro, cotovelo, punho, quadril, joelho, pés e tornozelos; mas também em outras lesões que não foram solucionadas pelos tratamentos habituais. O uso das ondas de choque também podem tratar dores musculares crônicas como na coluna vertebral, e tem um efeito de estimular a consolidação do ossos, quando aplicada em pacientes que tiveram fraturas de difícil consolidação, além de outras indicações.

A ideia por trás do uso de ondas de choque para doenças ortopédicas é de estimular a cura biológica por meio da regeneração e liberação de fatores de crescimento em tendões, tecidos circunvizinhos e ossos.

O método deverá ser prescrito somente por um médico habilitado, que fará uma avaliação clínica de cada caso. O tratamento é totalmente sem cortes ou perfurações na pele. Não há nenhum tipo de sangramento visível. Não há necessidade de curativos nem cicatrizes externas. É realizado em consultório ambulatorial, sem a necessidade de hospitalização. O tratamento de terapia por ondas de choque pode ser realizado semanal ou quinzenalmente, por cerca de 3 a 5 sessões que tem duração média de 30 a 45 minutos, desde acomodar o paciente até o seu término.


Fonte: Exame