Alimentação vegetariana foi associada a melhorias na sensibilidade à insulina e na pressão arterial, à redução da inflamação crônica e à manutenção de um peso saudável.

Uma dieta vegetariana à base de plantas foi associada a uma diminuição de 23% do risco de desenvolver diabetes tipo 2 em comparação a uma dieta ocidental onívora

Dados agrupados de nove estudos indicaram que a alta adesão a uma dieta vegetariana à base de plantas foi associada a uma diminuição de 23% do risco de desenvolver diabetes tipo 2 em comparação a uma dieta ocidental onívora, conforme mostra nova pesquisa do pesquisador Qi Sun, da Harvard Medical School.

Publicada no jornal JAMA Internal Medicine, os pesquisadores relataram que, entre os estudos analisados com uma metodologia mais rigorosa, em uma dieta baseada em plantas e vegetais (que inclua apenas frutas, legumes, grãos integrais, nozes e legumes) a estimativa pontual para a redução do risco de diabetes foi muito significativa.

O principal autor da pesquisa, Frank Qian, afirma que “os padrões alimentares baseados em plantas estão ganhando popularidade nos últimos anos, então achamos crucial quantificar sua associação com o risco de diabetes, particularmente porque essas dietas podem variar substancialmente em termos de composição de alimentos “.

A nutricionista Bruna Lyrio lembra: “com base nessas descobertas, esses dados destacaram a importância de adotar dietas baseadas em vegetais para alcançar ou manter uma boa saúde, e as pessoas devem escolher frutas e legumes frescos, cereais integrais, tofu e outros alimentos vegetais saudáveis”.

Os macro e micronutrientes das dietas baseadas em plantas melhoram a sensibilidade à insulina

O estudo incluiu mais de 300.000 adultos e foram diagnosticados 23.544 novos casos de diabetes 2. A equipe da pesquisa utilizou os principais bancos de dados para estudos que abordam as ligações entre as dietas baseadas em vegetais e a incidência de diabetes 2 em adultos. Essas dietas podem incluir as vegetarianas e as veganas, bem como outras com baixo consumo de alimentos de origem animal.

Novos estudos sobre os mecanismos mais prováveis por trás da associação mostram que os macro e micronutrientes das dietas baseadas em plantas melhoram a sensibilidade à insulina, a pressão arterial, reduzem a inflamação crônica e ajudam a manter um peso saudável.


Fonte: Eu atleta – Globo Esporte